Queijo brasileiro

Continuando nossa semana emocionada sobre o queijo, o “we can cook it” deu uma vasculhada na internet e descobriu algumas coisas super curiosas. Dá uma olhada:

Número 1: Queijo Catupiry é brasileiro
Sim! É brasileiro. Eu também fiz essa cara de espanto como você está fazendo agora quando eu descobri. Esse tipo de queijo foi criado no Brasil, pelos imigrantes italianos Mário Silvestrini e sua esposa Isaíra. Para ser mais específica, em uma estância hidromineral de Lambari, em Minas Gerais, no ano de 1911. Após a produção do queijo, eles deram o nome de “catupiry” que em tupi guarani quer dizer: excelente.

Número 2: Bactérias & Suíço
Todos sabem como é o queijo suíço, certo? Aquele queijo cheio de buraquinhos, tipicamente apresentado nos desenhos animados e que tem um cheiro bem peculiar. Pois bem, vocês sabem como o queijo fica com esse formato? Por causa das bactérias que são usadas em sua produção. Os “buracos” são porque essas mesmas bactérias expelem gases que se dilatam e formam as bolhas de ar que se transformam nos furinhos. E pelo mesmo motivo, o queijo possui aquele odor que dá de saber de olho fechado que tipo de queijo que é.

Número 3: Oui, oui, fromage!
Os franceses produzem mais de 400 tipos de queijo. E é de lá que vem o “queijo mofado”, mais conhecido como Roquefort.

Número 4: Mofo verde delicioso
Como falado ali em cima, o queijo Roquefort é aquele queijo branco com mofo verde que é super caro. Pois, esse queijo aí que tem um cheiro bem único, faz muita gente ficar no mínimo ressabiada sobre a origem verde que compõe o produto. O mofo não faz mal e de acordo com os franceses faz maravilhas pra saúde. Principalmente ajuda a amenizar a dor de garganta.

Número 5: Queijo milenar
Ninguém sabe exatamente como o queijo foi descoberto porém dizem por aí que a história de sua origem tem aproximadamente seis mil anos.

Esculturas de… queijo!

O que vem à sua cabeça quando alguém fala em esculturas? Talvez uma pessoa com uma picareta e uma pedra enorme na frente, num estilo Aleijadinho da vida. Mas cada vez mais os artistas inventam de usar materiais diferentes e inusitados pra compor as suas obras. Uma dessas pessoas é a Sarah Kaufmann, conhecida como The Cheese Lady, porque teve a ideia de esculpir queijos! Ela já faz isso desde 1996, e suas esculturas são para eventos corporativos, celebrações esportivas ou particulares.

Só dá uma olhada no trabalho dela:

Realmente, o resultado é super incrível, mas dá uma peninha de usar o queijo pra outra coisa que não seja comer! Ainda mais pelos preços (ABSURDOS) desses mais caseiros.

Quem descobriu o queijo?

Ok, todo mundo já deve estar cansado de chocolate (eu sei, eu sei, sempre tem um chocólatra viciadão que não cansa). Mas enfim, nós já cansamos de falar sobre isso aqui e vamos pular para o próximo assunto, que é… queijo! Sim, isso porque nossa próxima receita será um delicioso pão de queijo! Já podem se candidatar a cobaias, porque não vai sobrar pra todo mundo!

Mas vamos direto ao ponto. De onde surgiu o queijo? Quem foi a feliz pessoa que descobriu que aquele leite estragado e pastoso, com cheiro de chulé podia ser comestível? Na verdade, como é o caso de muitos outros alimentos, a origem do queijo é incerta. Sabe-se que já no princípio da história da humanidade, as pessoas domesticavam animais e tinham lá os seus rebanhos. Quando viajavam, os primeiros homens levavam o leite, então perceberam que com a movimentação que ele sofria durante o transporte, acabava se formando uma pasta mais sólida – o queijo.

Depois, a produção começou a se especializar e foi só na Idade Média que o queijo começou a ser feito com uma higiene bem mais rigorosa. Foi nessa época, também, que começaram a surgir as especialidades, e hoje são conhecidas mais de 400 espécies! E você já achava difícil diferenciar queijo muçarela (sim, é assim que se escreve) do queijo prato!